.posts recentes

. Só tu e eu

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. O que distingue o tempo q...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. O sentido para a vida

. O amor é vida

. DIA DA MÃE

.arquivos

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Dezembro 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Sexta-feira, 5 de Agosto de 2016

Amor verdadeiro

O que se acredita atravessar com um olhar, espera o desejo que queremos, no abraço do momento, no que poderia ser capaz, no seu rosto, de amar.

O que espera, com quem poderia ser verdade, o sentimento que fixa, o que surge como amor, na mistura que se percebe, quando um homem ama uma mulher.

Porque fomos a proximidade, conforme as expetativas, na paixão que realmente é.

O que se dilui nos corpos que a vivenciam, naturalmente.

A força do amor, descreveu o que domina o ser, no que vive, como queríamos e no que se tornaram.

Nos pensamentos sentimos despertar a realidade.

Corresponder à realidade das dúvidas, na certeza que surge, no que seguimos e poderemos dizer.

O que também existe, compreendeu simplesmente o que cria e se transforma, no sinal que encontramos e no exemplo que existe.

Saber lidar com o que é a satisfação vulnerável, no que se poderia aproximar, no anseio de acreditarmos e no que precisa ser.

Podemos amar. Podemos sonhar.

E existir na unidade.

E focar preenchidos finalmente no esforço que deseja ser.

A esperança associada encontrou o que vivencia as dificuldades , no que são.

Abordar a paixão no sentido da vida.

E merecer ser o que conseguimos em existir.

A felicidade de um mistério que circunda a linguagem das palavras do amor.

 

publicado por antonioramalho às 10:57
link do post | favorito
4 comentários:
De Anónimo a 15 de Agosto de 2016 às 12:26
As saudades do ser marcam o obstáculo…
Mas também impulsionam a procura
O equilíbrio descansa no mar tranquilo que quero e se pode alcançar
As ondas agitam-se
Pretendem-se mais serenas e confiantes
Águas azuis e límpidas vislumbram-se no horizonte
É possível ser
Voltar a ser
Buscar a vida
Ter a coragem…
A confiança…
Sim, ainda falta coragem e a confiança
Acreditar que está ao alcance
E espreita, tímida
E ser eu
E depois crescermos.
Olhares que transbordam de amor
E enchem o coração
De amor verdadeiro
De Anónimo a 18 de Agosto de 2016 às 11:28
Obrigada pelas tuas palavras.
Tão simples... mas que mostram o outro lado do espelho.
Sinais de Deus.
Bem hajas
De Anónimo a 16 de Agosto de 2016 às 16:22
Só no olhar dele
Ela queria habitar!...
De Anónimo a 16 de Agosto de 2016 às 23:00
Obrigada!
Por transformares pedras em flores,
para que possa caminhar descalça...

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
15
16
17
22
25
26
27
28
29
30
31

.links

.Visitantes desde Junho de 2010