.posts recentes

. Dia internacional do beij...

. ...

. ...

. ...

. ...

. Os ratinhos

. O que estamos a procurar?

. Porque és mulher

. ...

. O que traduz o amor

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. Esses olhos

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Dezembro 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

A velhinha de cabelos loiros que se sentava no por-do-Sol

Era uma vez uma velhinha de cabelos loiros, que vivia sentada no por-do-Sol...esperando escolher entre o dia e a noite....

Desde criança, habituou-se a encolher os ombros e deixar que os outros e a própria vida escolhessem por ela...

Não fazia escolhas..esperava tão somente que os outros escolhessem o caminho dela...Achava sempre que a vida lhe iria sorrir.....

Segundo ela..."era uma maçada escolher...assumir todos os riscos de uma decisão...era muito mais confortável para ela serem os outros a escolher...

No fundo, não vivia...era vivida!....

Porque a vida é ela própria um risco, mas também a gratidão de ser uma escolha e opção...Ela não sabia isso....

O prazer de escolher o caminho..o bem estar interior por sermos os senhores do nosso próprio caminho!

O livre arbítrio era a alegria que deixava escapar....porque no fundo é ele próprio o sentido da nossa própria realização pessoal e chave do destino!

A velhinha de cabelos loiros, que um dia foi menina, deixou a vida correr...Não viveu!...

E, quando um dia acordou....era velhinha e não feliz....Mas, teimosamente continuava sentada no por-do-Sol....

Estava sentada no por-do-Sol...mas nunca conseguiu sentir a beleza do por-do-Sol.....

Porque viveu sempre na indecisão do antes e do depois...esqueceu-se de desfrutar do durante , do agora, do momento presente...que, basicamente, era a própia beleza do por-do-sol....

Esqueceu-se de viver...quando podia ter escolhido viver...............e foi vivida apenas!...

Agora, demasiado tarde, resmungava e revoltava-se sempre..............., dizendo que a vida não lhe tinha sorrido....quando afinal foi apenas ela que não sorriu à vida....

Esqueceu-se que a única escolha dela foi não ter feito escolhas.....

Na noite que já despertava, o luar dos seus olhos soltou então uma lágrima......na sombra da escuridão...

Não escolheu, nem viveu...

Ainda hoje, mesmo sentada no por-do Sol...continua a interrogar-se e a dizer que o dia e a noite são iguais.....

publicado por antonioramalho às 11:18
link do post | favorito
1 comentário:
De Anónimo a 26 de Agosto de 2014 às 13:31
Por medo de arriscar,por falta de diálogo,por orgulho e muitas vezes por teimosia,desperdiçamos tanto a vida.
Chances que não se repetem

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links