.posts recentes

. ...

. Aquele olhar

. ...

. ...

. Uma carta de jogar

. O calor da tua mão

. O poente que tivesse

. ...

. A uma palavra de ter

. O que somos porque não am...

. ...

. As lágrimas ardendo

. ...

. Eu quero ver!

. A cruz na sombra

. No cais da saudade

. Viverei para sempre

. ...

. ...

. As flores como conforto

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Dezembro 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Quinta-feira, 1 de Abril de 2010

O velho ancião do interior....

Era uma vez uma música de encantar que tentava despertar os ouvidos de um velho ancião de uma aldeia do interior.....

Na penumbra do dia...o velho respirava o aroma das emoções já vividas, anestesiando a realidade, num torpor dos sentidos e da vida.......

O velho insistia e voltava a insistir sempre.....em acompanhar o ritmo da música, embora o Tempo o tentasse seduzir para ir para outras paragens...

Respirava sempre ampla e majestosamente, numa reviravolta de preocupações que não cessavam de tentar controlar a vida....

Assim....o velho ancião do interior...quando as emoções eram chamadas...rápidamente se empoleirava no topo do corpo...e praguejava....murmurando sempre ao ouvido do Eu que ele é que tinha razão....

No tilintar de momento a momento do dia a dia...o velho ancião rápidamente assumia a liderança de um corpo e de um pensamento

Provocadoramente....nunca deixou o interior...embora o Tempo e a Sabedoria o tivessem tentado inúmeras vezes....

O Eu raramente se apercebeu o quanto pernicioso este velho ancião era....

E...assim...o velho ancião...ainda vive no interior.....

Ninguém o viu...mas ele está lá sempre......

Ah....ninguém sabe o nome dele...apenas sabem que começa por O. 

publicado por antonioramalho às 12:53
link do post | favorito
2 comentários:
De Ninguém a 1 de Abril de 2010 às 16:46
Há que ter cuidado com Esse velho ancião da "aldeia do interior", que teima em insistir em não deixar a música seguir o seu caminho!
Há que persistir, sobretudo, com muita sabedoria e humildade para que Ele se afaste e jamais domine o corpo e a mente…para que a música de encantar possa seguir o seu ritmo …no caminho da Felicidade.
O tempo…é certamente uma ajuda para eliminar o velho ancião, mas o tempo esgota-se… a cada instante, por isso não podemos desperdiçá-lo…porque corremos o risco de acordar…e já ser tarde!

Espero que o "O" se afaste do seu caminho...

Parabéns pelo texto
De A a 1 de Abril de 2010 às 19:46
Nunca deixe que o O persista no seu interior , porque assim nunca conseque caminhar para a frente e ver novos horizontes. Que o A entre no seu coração e seja muito mas muito feliz.
" Quando uma porta se fecha abrem-se sempre duas janelas ".
Não insista em ter a porta fechada. Abra a porta e deixe a LUZ entrar no interior do seu coração.
Bjo.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.Visitantes desde Junho de 2010