.posts recentes

. Dia internacional do beij...

. ...

. ...

. ...

. ...

. Os ratinhos

. O que estamos a procurar?

. Porque és mulher

. ...

. O que traduz o amor

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. Esses olhos

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Dezembro 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Domingo, 25 de Dezembro de 2005

Que realidade ?

As nossas crenças e os nossos preconceitos são os filtros do nosso olhar relativamente à realidade que vivemos.....
Ao olharmos para a realidade que presenciamos, automáticamente a definimos, a julgamos e a marcamos.....e depois entra em linha de acção o binómio pensamento-sentimento .
Pensamos que a realidade é aquela que nós filtramos pelos três factores : olhar, crenças e preconceitos .
Mas a realidade....é bem diferente !
Pensamos que a realidade é a nossa, a que nós vemos, a que nós filtramos. Não paramos sequer para pensar que há um cunho subjectivo em cada avaliação que fazemos . Há um sentido único, que é o nosso...o nosso ponto de vista, a nossa perspectiva !
E a realidade....é bem diferente !
Julgamos a realidade como boa ou má, por exemplo, porque a visualização é filtrada pelas nossas crenças e preconceitos...que estão dentro de nós!
fazem parte do nosso EU...foram-nos inculcados pela educação e pela Sociedade . Não tivémos escolha quanto a isso!
Temos escolha sim, é sobre a capacidade de percebermos onde estão estas crenças e preconceitos relativamente à realidade que nos é apresentada .
Temos escolha sim, é sobre a capacidade que temos de as retirarmos duma interpretação que fazemos da< realidade .
A realidade é, pois, ela própria, única, despida de qualquer crença, preconceitos ou interpretações perfeitamente subjectivas . A realidade é ela própria, assim, sem mais nada. Através dos filtros que nós colocamos, assim teremos uma determinada interpretação . Mas isso significa tão somente que a realidade não poderá ser apenas a nossa interpretação.
A nossa interpretação é apenas e só mais uma perspectiva dessa mesma realidade . Não podemos e não devemos confundir a nossa interpretação com a própria realidade .
A realidade tem várias perspectivas de visão, várias interpretações . E há choques de interpretações quando 2 pessoas têm perspectivas de visão duma realidade exactamente complementares .
A realidade é qual afinal ? E porque insistimos tanto em querer ter razão segundo a nossa perspectiva ? E porque insistimos que a nossa perspectiva da realidade é a verdadeira ?
A realidade é ela própria, é apenas ela... Nós é que a vemos de diferentes modos e perspectivas .
Numa relação interpessoal porque insistimos sempre em que a nossa perspectiva da realidade é que é a verdadeira ?
Quem nos concedeu o estatuto de sermos os detentores da verdade ?
Será que a nossa visão da realidade, eivada com o nosso subjectivismo, é ela própria o caminho da Felicidade ? Certamente que não !
Ou será que é fundamental, para caminhar no caminho da Felicidade, ter a capacidade de ter diferentes perspectivas dessa realidade e, se possivel sem o filtro das nossas crenças e preconceitos ?
publicado por antonioramalho às 23:10
link do post | favorito
1 comentário:
De Anónimo a 1 de Janeiro de 2006 às 01:25
Começo por lhe dar os parabéns por este blog de pensamento e reflexão acerca da filosofia da vida. Quem não a tem?
Quanto à Felicidade e à Realidade que almejamos e absorvemos, respectivamente, existe, como refere a sociologia, o "olhar para além de". Ou, como refere Urry, o "olhar em profundidade".
Contudo, a realidade é subjectiva, imensa e muitas vezes incompreensível e, o que parece certo é que ela existe. Aliás, como referiu Anais Nin, "nós não vemos as coisas como são, vemos as coisas como somos".
A Realidade está ligada à Verdade, na medida em que, não existe uma Verdade Absoluta, uma certeza abominável, tudo é mutável e nada é totalmente perene. O mesmo se passa com a Realidade, o que é a Realidade? É o que vemos? É o que cremos? É o que sentimos? Uma coisa é certa: o que quer que seja, existe! E, como tantas outras coisas, parece não ter definição. Afinal a ciência não é perfeita, ninguém o é!
Um abraço.

Gabriel Galvoeira
(http://turismoedesenvolvimento.blogspot.com)
(mailto:galvoeira@gmail.com)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links