.posts recentes

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. As nossas mãos

. ...

. Quero tocar-te

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Dezembro 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Quinta-feira, 28 de Maio de 2020

...

Não serei encontrado

no abraço que falta,

o que sabe conhecer de ti

o que pronunciou

o que levará o amor,

no sentido para compreender

o agrado que sabe que é,

de mais olhar o que sentir,

à vida na luta que tivesse

o tempo que tentou.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 09:17
link do post | favorito
Terça-feira, 26 de Maio de 2020

Recomeçar

Recomeçar

do zero, da vírgula,

do ponto final.

Porque a tua vida

é um lugar,

um dia na distância para alcançar.

 

A imaginação para ensinar

ao coração que tudo pode,

o quanto é dizer

que é estar a procurar.

O gesto, a escolha

o coração partido que disseres,

alguém que ouvirá a espera.

 

Recomeçar,

que a vida chegará

ao espelho refletindo

a imagem do amor

ao amanhã que estivesse

no tempo que foi uma dor,

ao encontro de cada passo teu

sem dar.

 

Recomeçar,

porque é o mundo

no coração que soube o que sente,

é a espera que olha

o que for acontecer.

 

A palavra que ficou por dizer,

disse às lágrimas

a oportunidade que espelhou a dor

que é a felicidade

do que vivemos.

 

Que ninguém vive o que não é amor.

 

O que dissemos que estava em nós,

são os passos apenas

do que faz de ti o caminho,

a sentir a esperança

de um dia na alegria

a vontade sem pensar,

de fazer tentar a dúvida

ao que não é viver sem ti.

 

O que começa no meu coração,

escreve quem sabe

o poema que começa

na mudança,

o teu olhar no recomeço

que seja ter

o que é aceitar,

pela natureza sem ter

o que é a tristeza,

na forma que é dizer

o que lembrar o que fazer.

 

O sonho perdido

na música que está passando,

é o tempo vestindo o que fazer

na razão para ser.

 

Acredito voltar a amar,

acredito em desenhar novamente o sorriso

para entender

o brilho do que é viver,

que tentar preencher

as palavras que dirão ser

a vida a recomeçar,

que viver o sentido do amor

para entender

o que é chamar o amor

em cada dia que viva.

 

Voltar a viver

o que é tudo por amor

que chama o que sentir

a olhar cada página por escrever

que quero voltar a amar

o que é o tempo que aceitar

o que seja o querer

que viver

o tempo que passa sem permanecer.

 

A cada passo por amor,

serei a vida que sentirei,

no silêncio que a vida levará.

 

Recomeçar sem ti,

todos os dias

o que tentarei encontrar,

que a vida são lágrimas que sentem a imaginação.

 

Recomeçar por mim,

na escolha de uma história que será a luz,

ao amor que faz a diferença,

que talvez o tempo encontre,

na vida que desperta

o caminho que perdi.

 

Recomeçar…

por mim,

por amor

porque quero viver,

porque quero ser a vontade

nos dias que tentarei.

 

Esperando o amor que virá

ao momento que é mais um dia.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 10:52
link do post | favorito
Segunda-feira, 25 de Maio de 2020

...

Sou teu

Na vontade que a vida é,

esperando o que pensar,

que aproveitar o que é dar,

querendo ser o tempo de ser capaz,

na certeza de estar

ao que definem as emoções,

porquê amor?

que não te consigo esquecer,

no essencial da intenção

como caminho das palavras.

 

A chuva no limite dos teus passos,

dá para te dizer

onde estou,

por perto

na distração que toca uma música,

ao ouvir o teu nome,

para perceber

tudo de mim

no começo que te dou.

 

Na tua silhueta

as curvas da sensualidade,

que começa de ser

o que procura a vida

na imaginação,

a querer ser

o que mostra o meu coração,

de ser o amor

a dizer querer dar.

 

Tudo de mim,

no valor de ti em mim,

que o tempo encontrou em mim 

o que na vida é dar.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 10:46
link do post | favorito
Domingo, 24 de Maio de 2020

Só tu e eu

Só tu e eu,

onde quero estar,

devia ser o que confirmar,

o amor que se aproximou.

 

O que é meu,

que nunca tinha visto dançar

tanto quanto o teu olhar me tirou o fôlego,

que não há uma mulher tão bela,

ao teu amor

que dançou em mim,

na morada que sou,

para dizer onde estava o nós,

que não acreditaste em mim.

 

A maneira de ver a verdade,

que diz que nunca esquecerei o dia,

ao dia em que te vi,

que se tornou amor na questão,

de nunca ninguém ter brilhado como tu,

no significado da expressão.

 

Só tu e eu,

que somos o postal do amor,

onde está o brilho

que se tornou a alma,

ao momento porque nunca esquecera

a maneira como vives

por falares o que sentes,

que é o desejo onde tropecei

ao olhar para ti.

 

Ficámos onde não está o tempo.

 

O tempo como sinal,

que perdi por não te ter,

ao meu lado que sei perguntar,

são os dias por dizer.

 

Nas lágrimas

que se lembraram de acordar,

saiu a imaginação

a ofereceu a dor

ao porquê que nunca disseste.

 

A verdade que for aparecer

nas flores que o tempo enviou,

era o desejo do teu beijo

à minha vida que somos,

o que queira saber o tempo,

ao que foi o amor.

 

Sem ti,

a saudade revelou a realidade,

ao lugar que se tornou

o que não explica,

que as flores secaram

nas palavras como coincidência

ao porquê da tua ausência.

 

As flores de ninguém,

disseram o teu nome,

na chama que apagou a esperança.

 

Na distância do céu

que me chama,

é a raiz que não é,

ao momento de amor que descobri

o que poderá perguntar

o que não queria,

que é a minha vida

sem as tuas palavras de amor,

a levar o meu caminho

de quem será

porque foi encenar a solidão.

 

Em cada passo a chamar a ação,

eu e tu,

na paixão que procurou a vida,

terá as lágrimas que são palavras.

 

Quando morrer,

levo da vida a dor,

ao verbo que é um sentido

que talvez seja o que disse o tempo.

 

Na vida que pensava ter,

vive um desejo na fronteira da liberdade.

 

A razão que não permitiu

que vivesses ao meu lado

ficou no portão do sempre.

 

Sem ti,

não consigo perceber o que o amor é.

 

Porque não posso esquecer

a tristeza de não te ter,

de saber que sou apenas

um olhar na luz que deveria tocar.

 

Sem ti,

não posso mais caminhar

no mundo que se desvanece.

 

A lua em fogo no céu enorme,

chora na tristeza

que tocar o que não aparece.

 

Queria estar no teu caminho,

queria ficar em ti,

à espera das estrelas,

no sol que está a nascer.

 

Eu não possa viver a vida no mistério.

 

Perdi-me um dia nos teus olhos

e no teu abraço,

senti elevar-me ao céu

no amor que chamou por nós.

 

Não sei o porquê,

mas não consigo negar o que senti,

que apareceu sob destino

esculpido no teu corpo.

 

Não serei encontrado

para compreender a chave…

 

Nos teus olhos disse existir,

o que só precisava de estar.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 11:21
link do post | favorito
Sábado, 23 de Maio de 2020

...

Sem saber a canção

que compreender,

no medo sabendo que estava

como verbo

ao meu coração,

de saber poder acontecer,

as palavras que nunca te disse

por te amar,

cantaram a fé que faz acreditar

na esperança sendo difícil,

de quem sabe realizar,

o caminho dizendo chegar

ao momento que foi pensar

o meu olhar como reflexo

à janela para falar,

quando o amor está em receber

o ser como quem sabe agradecer.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 17:47
link do post | favorito
Quinta-feira, 21 de Maio de 2020

...

Quando os teus olhos

encontram os meus,

o meu coração despe-se em ti,

no encontro que aproxima

o desejo do coração, que será o que sentimos

ao amor por sabermos ter,

o eros que exprime

o que abraçar a chama,

ao momento

que precisamos de ver

o que contemplam os gestos,

que tocamos as nossas mãos

através do toque que vive em nós.

 

O caminho que mostra o olhar,

será dor, será destino,

será amor,

de uma intensidade que flui

no sentido

de um sentir profundo,

o coração olhando

o que o amor dá,

de quem somos no lugar,

pela força

que sentir tão intensas

as palavras ,

na razão do teu olhar

que se abre em mim

como satisfação,

na dimensão do céu

para dizer que te amo.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 13:04
link do post | favorito
Quarta-feira, 20 de Maio de 2020

...

O infinito do teu corpo

no meu desejo,

por um momento,

é a vida não apenas,

porque perceba a beleza

que leva o que começa,

que o amor será o que é

a dizer a verdade ao tempo.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 17:48
link do post | favorito
Terça-feira, 19 de Maio de 2020

...

O significado do amor

quanto aprecia a intenção,

aceita o coração

na ideia que fará crescer

o que necessita,

de ver o que é

o que cremos,

ao momento para compreender

a força do amor,

que é o valor que apagar as lágrimas

na dor para deixar,

o que perguntar o que será.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 15:24
link do post | favorito
Segunda-feira, 18 de Maio de 2020

...

A razão que seja o que não veja,

o que compreenda o coração,

é o céu que existe

a importar o presente,

ao amanhã que é apenas,

o que ficámos a saber ser

o caminho que seguir.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 10:18
link do post | favorito
Quinta-feira, 14 de Maio de 2020

...

O que cantava a vida que foi

cruzar o fascínio

na aridez do caminhar,

fez o quê

no contraste ao sol

que parece ser a imaginação,

descobrindo a dimensão

do que pode dizer

o momento que partiu,

não compreendendo a tua ausência.

 

António Ramalho

(Direitos de autor reservados)

publicado por antonioramalho às 14:20
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.Visitantes desde Junho de 2010