.posts recentes

. LIVRO DE POESIA

. Amor verdadeiro, realidad...

. O que aprendi no teu corp...

. A direção da oportunidade

. Vai viver o teu sonho

. Para sonhar, nos teus bra...

. Querer ser o que sentes p...

. O mar de alguém

. Chamar o vento que não ac...

. O que não quer chegar

. Conhecer o que quer dizer

. Por ti…porque és mulher!

. A Árvore da vida

. Os erros no silêncio

. A atitude de ser o presen...

. O que guiava os seus pass...

. O que confessam os teus l...

. O que és tu

. Por um olhar

. Viver no sofrimento de me...

.arquivos

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Domingo, 30 de Abril de 2017

O infinito que pode acontecer no segredo

Impedir de esconder as saudades nas fotografias de si próprio, na árvore a colher a fé, que mostra o que quiser, no amor que pode viver na tolerância da luz, que deve o agradecimento ao nosso coração e que impulsiona o que cresce no caminho que buscará a lembrança.

O que lhe aconteceu, por umas horas, na interpretação que fosse o abraço que nos dá o decorrer do tamanho do viver, na montanha da distância que fica onde as estrelas não se podem alcançar.

Não fazia sentido, quando desse a palavra, na maneira de olhar para si.

Não se pode apagar a luz, quando o tempo completa o frio que resta, nas pedras que começam no deserto, que é a correspondência de como se vive adverso, no que realmente reflete o privilégio de si mesmo, que pode dar o que pode haver e se passa na surpresa do que aconteceu.

No infinito que depende do que poderá voltar, no tempo que é apenas a ponte, que se dispersa no seu encontro a perdoar o que deslumbra o ser e que contribui para o sonho que será real no que pensa acontecer o segredo.

publicado por antonioramalho às 15:56
link do post | favorito

Entrelaçar as palavras

O jogo das palavras em forma de momento, no espelho da altura.

- Serás tu? Serei eu?

O coração dela no dele, como se fosse a perfeição.

O que não quer saber, no que não sabiam as lágrimas que viram o que acha que seja.

Algo que chama o que é essencial para confiar onde se quer ver e se vê alguém num abraço apertado.

O que pode ser no tempo que permanece e reaproxima do que nasce sempre de novo, de forma diferente.

Ser feliz na resposta que vale mais, porque disse o que tivesse importante.

Os segredos do desafio que podem confiar em alguém que é como diz demais, o que procura encontrar.

A vontade de dizer,  que faz parte da vida e que agradece o que teve.

O que é viver no carinho, de chamar o respeito na mão da cumplicidade visível.

A escolha na afinidade e na admiração que sentimos, como parte do que possamos sorrir e chorar nos nossos corações. Fundamental no que vivemos os momentos tristes, porque valorizamos o que é, pelo que somos.

A diferença da disponibilidade que quiser fazer o que tiver de si, a descobrir o que ouve o olhar para ficar, na atenção que aceita o que seja e faça.

Dizer presente no cantinho que acontece e na convivência que envia as flores nas palavras, num espaço abençoado pelo que cativa o seu crescimento.

Esboçar a ternura que dizer o que evoca distante de entender, à luz dos lábios que perfumaram o que aperfeiçoa o significado para entrelaçar as palavras, num laçinho especial que deu o que parece ser o papel.

publicado por antonioramalho às 11:38
link do post | favorito (1)
Sábado, 29 de Abril de 2017

Olhar a paisagem onde fomos

O que lembra a beleza de ti, quando chorámos no caminho dos nossos corações, aprende onde havia a alegria nas nossas vidas, para pensar o que queríamos, nas palavras do meu corpo.

O que lembra as cores, que mudaram a vida onde viemos e partimos, sem esconder a ilusão no meu coração, que se manifestam para ser.

Os sons que lembram a tua música, que dançámos, onde nos encontrámos, são ações de ti. Parecia o vento, parecia a luz, na fonte a olhar a paisagem onde fomos, para ser a mensagem que tem a verdade.

O amor que levará a direção de ti, na noite dos medos e que enxugou as lágrimas, mostra o que podemos fazer na diferença e nas emoções que se levantam no interior, no limite possível da imaginação.

 

 

publicado por antonioramalho às 15:01
link do post | favorito
Sexta-feira, 28 de Abril de 2017

Para além da chamada possível

O que encontrei nos teus sonhos, acho que se esconde na luz do ser e na esperança como tu, para lá do desejo.

Saberás dentro de ti quem eu sou, no que foi o momento de saber o caminho, na ideia que nasce semelhante no impossível, que não é, e no princípio que abrange uma palavra que te descobre como tu.

De mim, saberás a luz que se revela e deixa os passos para além da chamada possível, no que serve o bem, que guia o que faz durar o amor.

Por dizer o que se atravessa no teu olhar, na forma que encontrará o que se torna capaz, no sentido do interior.

O conhecimento que realiza, o que se torna a dor que acompanha o sofrimento.

A janela que vive e pode ver as pessoas que passam, na recordação que faz a orientação, que se torna a raiz da vida.

O que será, que souber o que pode dizer em si mesmo, nas linhas do seu conhecimento, pela sensação vivida que é a alma ao ponto que se aproxima do sentido que acontece.

 

publicado por antonioramalho às 17:25
link do post | favorito
Quinta-feira, 27 de Abril de 2017

Onde o amor se esconde...

Os aspetos em nossas vidas, por um momento, tu e eu, no teu olhar, o que posso eu fazer, no caminho da escolha, em teu rosto.

O coração em teu lado para envolver a emoção, no medo através do destino, em que estamos a amar, num luar sem ti, que parece não ter fim.

O lugar onde as estrelas passam para ti, porque encaixam na espera que pode ter o pensamento, que pergunta o futuro, na orientação do brilho em que é cedo para ficar na emoção, esquecendo a dor do coração.

Para deixar o que cria a realidade, numa manhã onde o teu nome, traz o vento na lembrança, dos sonhos demais que tentam encontrar o que esconderam as minhas lágrimas.

De ser o que não teve, e que poderia continuar na ponte que seria o que gastou a hipótese de ser, onde o amor se escondeu em cada dia.

publicado por antonioramalho às 20:01
link do post | favorito

A procura do teu olhar

Na madrugada de um sentimento meu, que vê o teu olhar, só a ti que parecia, espera o teu coração a caminhar para mim, no brilho de um sorriso.

O que parece um sonho, no meu silêncio, de uma noite no êxtase do teu olhar no meu, nas estrelas que te dão o amor da minha paixão.

O que precisa o meu coração, para mudar a saudade, que foi esquecer de ti o que nunca esquece no teu olhar.

Quero-te por fazer, o que precisa o amor, que é ter sobre os meus pensamentos a minha estrada, para atingir mais amor, na procura do teu olhar.

O que segue a magia que possa ser viver ao teu lado, a seguir o significado de todos os dias sobre o lugar do amanhecer em ti.

O que precisa mudar a dimensão do teu pensamento, que volta a ser o desafio de um momento na solidão.

publicado por antonioramalho às 16:37
link do post | favorito

O teu beijo tocou a magia

A verdade que passa na saudade, longe demais num amor que posso dizer sem limites, no amor infinito de mim, que não esqueço que existe onde foi o que a vida pensou esperar na paixão e na dor.

O que perguntei num abraço, sem entender o sonho que vence o silêncio de uma dor, na razão a aceitar o que não podemos saber deixar de amar.

Sem ti, eu não quero olhar o pôr-do-sol, nem a beleza de uma rosa vermelha a mergulhar no coração.

A vida que fez o meu coração, que vence o silêncio no teu amor, sem saber a razão e o porquê.

O teu beijo que a vida fez tocar na magia, vence a solidão de ti, na lágrima que amou intensamente o brilho do querer para ser.

 

publicado por antonioramalho às 15:51
link do post | favorito

O que estivesse no teu encanto

A minha mão tocou a tua, no meu amor, que sei  a verdade, perdida no teu olhar e na minha voz, que estava em mim, a alcançar o que devia ter pensado, para alguém preso a ti, na alma de um caminho que precisei de sentir.

O que sente o mesmo que um sonho, na única lágrima distante do que é, e não pode ver o que não consegue perceber.

O que não pode fazer quando se ama o que tentamos agarrar na mão, como deveria ser o amor, que tenho e te entrego, em tudo o que o amor pode trazer, no fundo da alma, como se fosse saber o que não consegue ver, mas que o teu coração sente.

Saber o que fazer, quando me cruzei na tua razão e na minha vida, a perceber o motivo na orientação de ti, para lá de uma razão sem fim, que simplesmente não entende o meu desejo.

O tempo de crescer quando algo em ti, deu realmente a realidade de uma vida a ter e aceitar o que estivesse no teu encanto, por me apaixonar.

publicado por antonioramalho às 15:04
link do post | favorito

A fórmula que pode dizer o significado da amizade

Diante do sol imenso, que desperta a vida em cada expressão no sorriso e na beleza que busca a felicidade, não é apenas uma ilusão.

O que dura o tempo, para se tornar o que sabia e existe à volta do que se passa, que se tornará o que faz parte dos seus caminhos, reserva o rumo que escuta o que cultiva a sua vida

O que podemos ter perdido, junta a verdade no olhar que foi o princípio dos nossos momentos, na lista a fazer.

A noite que vier no dia que é, no que trouxe a atenção no jardim de uma fonte que permanece, fica e não sabia que muda a vida, para não perdermos o brilho que sentimos, refletindo a luz da amizade.

A fórmula que pode dizer o que falta no significado que somente temos e que precisa seguir na certeza de um coração, capaz de perceber o que sabe olhar o destino verdadeiro, na possibilidade que traz o que é fundamentalmente aceite e que começou por dizer o que merece a amizade.

O possível de ti, que ama a verdade, no sorriso que deseja o que gosto de ti e que nunca esquecerá.

Aquela parte de nós que deixa cair a lágrima e que pergunta…… Porquê?

Entender o significado que vivencia o que gostaríamos de ser, na diferença da aparência que, por ser o amor mesmo, sente que nunca esquecerá.

Ao acordar, nos momentos felizes, que nunca esquecemos na forma que entendemos, deixamos a mensagem no coração que abraçou o que nos acompanha e que precisamos de compreender.

publicado por antonioramalho às 11:45
link do post | favorito
Quarta-feira, 26 de Abril de 2017

O despertar que tinha que ser teu

Post nº 600

 

Pelo teu amor, na minha manhã, a sonhar no teu nome, desejo que existe na minha vida, nas saudades de ti, nos teus beijos, que não tenho, em meu coração partido.

Os meus olhos nos teus lábios, o teu rosto no meu, na busca do amanhecer, de mais um sonho.

Na minha vida, em meus braços, que estou vivendo, no amor de cada vez mais, mais do que a minha vida, estás presente na paixão de ti, guardada no meu sorriso.

Por te amar, na falta de ti, que me importa.

Não estar contigo, é o que eu não quero.

O sonho de querer estar contigo, no amor ao luar, no toque em teu corpo, no brilho da escuridão.

O segredo de uma solidão do coração, no despertar que tinha que ser teu para ser feliz.

A realidade de um propósito no tempo, nos nossos beijos na fonte infinita, no silêncio de outras palavras.

O amor na interpretação do meu coração, que surpreende o que toca as raízes que vemos

 

publicado por antonioramalho às 10:40
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

.Visitantes desde Junho de 2010

.De onde visitam: