.posts recentes

. O labirinto das emoções

. A sombra do que é a luz

. O que pode ter quem é

. O que diga por lágrimas

. O que realmente podemos f...

. LIVRO DE POESIA

. Amor verdadeiro, realidad...

. O que aprendi no teu corp...

. A direção da oportunidade

. Vai viver o teu sonho

. Para sonhar, nos teus bra...

. Querer ser o que sentes p...

. O mar de alguém

. Chamar o vento que não ac...

. O que não quer chegar

. Conhecer o que quer dizer

. Por ti…porque és mulher!

. A Árvore da vida

. Os erros no silêncio

. A atitude de ser o presen...

.arquivos

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Quarta-feira, 30 de Abril de 2014

A arte da colagem.........

A colagem consiste no preenchimento do vazio em círculos contínuos, ao redor da fronteira do visível.

Colar as páginas ao sonho....colar a vida na verdadeira porta para o amor...

O ar foi rarefeito pelo medo do desconhecido,sendo preferivel medir as palavras cortadas.

Não há Sol. Está frio . O vento está aumentar.

Porque nos toca sempre pessoalmente...quantas vezes démos a volta?

Não tempos força, nem inventamos....É um sinal com significado....

Os círculos contrastam com a geografia humana..mas continuam na colagem...

A viagem é sempre demorada...Restos de chamas a evaporarem-se...

A noção da impermanência flutua no entardecer..

Aproximamo-nos do arco-íris e chegamos finalmente onde está representado o Tempo e a imaginação.

Os círculos são o reflexo duma viagem diferente ou duma nova realidade...

Uma única volta vale mais do que a acumulação de méritos, ficando livres as palavras...

Quando se caminha tanto damos muito de nós..

No fundo, tornamo-nos pregrinos da colagem a alguém..

Porque nos colamos, em vez de amarmos?....

Porque colamos o presente com o passado?

Emerge sempre uma sensação de tristeza e alegria...

O reflexo de alguém mostra-nos sempre a colagem a algo....

Será que perdemos as chaves?

Por vezes, conhecemos outros nómadas que caminham noutra direcção...

A sua ambição é sempre uma busca contínua...

Vamos devagar..alguém está à nossa espera na montanha...

A peregrinação interior segue o ciclo de vida contínuo e leva-nos ao horizonte do vazio...

Porque nos colamos, de facto?

Descobrimos a harmonia quando nos viramos para o Sol...

O elo invisivel que os une criou o caminho mais fácil : a colagem.

Porque se identificam com o outro nas suas diferentes vertentes e porque necessitamos de preencher o vazio...

Mas...a colagem não é amor...nem admiração...é apenas um vazio guardado no compartimento ao pôr-do-sol.

Protegidos pela mancha escura da noite...os círculos repetem-se sempre....

O refúgio do grupo é a protecção, em círculos contínuos...

Será a colagem uma estratégia de defesa do ser humano...na peregrinação?

publicado por antonioramalho às 18:57
link do post | favorito

A flexibilidade da mente.....

Espreitar pela janela....e nada ver....

Ter pontos de vista estreitos e afunilados e um apego inusitado à suas próprias ideias e convicções...reflecte o balanço de um ego que disparou, sem controle, pelos caminhos da escuridão relativamente ao autoconhecimento e à evolução como ser humano...

Ter um Ego imenso,sem pensarnos nos outros, sem saber escutar os outros...e até sem termos a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro....é cegueira mesmo que estejamos a espreitar por uma janela....

O próprio Ego cria os seus obstáculos..o próprio Ego se automutila, abdica da energia e da serenidade...

Sem controle, o próprio Ego abdica da capacidade de se autotransformar e conquistar a paz interior...

A paz interior conquista-se pela prática diária, pela autodisciplina, pelo querer e pela motivação.

A paz interior conquista-se pelo controle do próprio Ego...

Básicamente.... é fruto da libertação dos diversos condicionantes : a ira, o ressentimento, a inveja,o ciúme, o ódio....

A fazer....e há sempre muito a fazer...é o cultivo de pensamentos positivos...

A evolução como ser humano está reflectida na capacidade que temos de saber subtrair a influência que os acontecimentos e as circunstâncias externas exercem sobre nós...

Controlar o Ego e a vulnerabilidade emocional criada pelos conflitos resultantes dessa mesma incapacidade de nos enchermos compulsivamente com o externo...

O apego ao estreitamento dos pontos de vista e a incapacidade de subtrairmos a influência que os acontecimentos externos têm sobre nós são claramente os factores mais importantes na ausência de paz interior.....

publicado por antonioramalho às 05:48
link do post | favorito
Sábado, 26 de Abril de 2014

A fé ultrapassa tudo...no mar imenso...

Existe um mar imenso...existe o ir e o voltar...

Como conseguimos chegar a terra num mar imenso?.....

O ser humano é demasiado pequeno.....o mar imenso faz-nos ver realmente  a nossa pequenez....

Como conseguimos chegar a nós?

Existe o ir...mas também existe um mar imenso....,

Sem barco...como voltamos a terra?....

No mar imenso.....existem ventos agrestes, ondas gigantescas, maremotos e furacões....

No mar imenso....existe a dúvida do voltar....

Porque existe uma força ...que navega por nós e está em nós....que nos empurra, nos alivia e nos faz acreditar....

Porque, no meio do nevoeiro, existe uma luz cintilante que nos indica o caminho....

Porque sem fé ...a vida é uma inquietude...quase permanente.....

A fé move montanhas e permite navegar no mar imenso....

Existe uma viagem essencial...que nos ensina a ver melhor...e a sentir a vida....

Ter fé é acreditarmos em nós, que é possivel....

É uma busca permanente ...de uma luz no mar imenso....

O grito de uma luz que diz que a fé ultrapassa tudo....ou quase tudo , dificuldades, nevoeiros e ventos....

O farol existirá sempre......deixando entrar a fé em nós e abrindo o nosso coração...

Semear um farol...no mar imenso...

Transformar a vida numa partilha...e vivermos essa partilha.....

A fé é acreditar...é abrir o coração...é partilharmos uma luz cintilante....

Ter fé é ir e voltar no mar imenso.....porque a vida é um mar imenso.....e nós somos demasiado pequenos....

 

publicado por antonioramalho às 23:49
link do post | favorito
Terça-feira, 22 de Abril de 2014

Quero mudar....mas não quero mudar.....

A mente é claramente o resultado da separação do EU....O EU que quer e o EU que não quer...o Eu insatisfeito e o Eu acomodado....

Por um lado queremos e achamos que devemos mudar! Mas o outro Eu prefere acomodar-se ...viver numa pseudosegurança!.....

A paz interior tem a ver com a capacidade da mente em focalizar-se na renovação...A mente, dum modo geral, prefere o apego e a acumulação..... Conservar pensamentos e ideias inúteis, acumular lixo mental, sem desperdiçar absolutamente nada.....

Mas...o processo de construção da paz interior tem necessáriamente a ver com a construção de uma mente renovada e serena..em suma, mais lúcida e clarividente....

Para isso, é necessário mudar atitudes, perspectivas, pontos de vista e procedimentos diversos.

É necessário mudar...é necessário enfrentar a própria mente....Mas....esta mudança deverá ser sempre gradual e progressiva...

A mente tem que renovar-se...como o processo das queimadas no campo....é benéfico para que as novas sementes brotem com mais energia e vigor....um processo exectamente igual ao da própria mente!!

Para que a mente tenha a capacidade de se renovar...é necessário deitar fora atitudes e pensamentos errados e inúteis...No fundo, trata-se de conseguir canalizar e capitalizar as nossa próprias energias num sentido único..esforçarmo-nos por encontrar a paz interior...

É um processo que requer paciência, perseverança, energia e confiança em nós próprios e autodisciplina férrea..

Perceber quando a  parte do Eu acomodado nos tentar enganar...e empurra para fora do caminho da paz interior...

Qualquer ser humano pode modificar-se e melhorar...

Há que eliminar o lixo mental diáriamente e que não nos deixa progredir e avançar : atitudes erradas, arestas por limar, reacções emocionais descontroladas....

publicado por antonioramalho às 16:22
link do post | favorito

O auto-abandono........

Porque há pessoas que não olham para o verdadeiro EU, o Eu que tem imperfeições, arestas por limar....e que, de facto, entra em contacto com a realidade ............o EU imperfeito numa Sociedade imperfeita............e preferem olhar para o outro EU?

O EU imperfeito sabe que pode falhar...o Eu que erra e admite os seus erros...o Eu, em suma, que está longe da perfeição.........o Eu percebe que as suas ideias e atitudes podem estar incorrectas....este é o EU que retira lições importantes da vida e que não costuma errar repetidamente.............

Este EU é de convivência fácil...tem uma maneira de ser límpida, que não perde energias a provar obsessivamente os seus argumentos.....Este EU deixa felicidade por onde passa, respeita o ser humano por aquilo que ele é...........

O outro EU, o perfeccionista não admite falhas ou erros, o seu comportamento está sempre correcto, segundo ele, não admite críticas ou observações....Esse EU desperta dor e desconforto por onde caminha...tem relacionamentos difíceis, são sofredores e frustrados...são os Srs. intocáveis!

O EU que sabe que é imperfeito tem todas as probabilidades de deixar a sua marca na curtísssima vida (caminho) que afinal todos temos....

O EU  imperfeito aprende com os seus próprios erros...e tenta sempre melhorar como ser humano, tornar-se ele próprio o seu escultor do EU....Vive o amor na sua forma mais profunda e plena...e que inevitávelmente irá influenciar todas as pessoas que o rodeiam e com quem convive...

O EU imperfeito compreende, tolera e perdoa...esse EU percebe em que consiste a existência e a sua missão...O EU imperfeito não se auto-abandonou..

O outro EU...tem uma necesidade doentia de controlar tudo e todos e não compreende mínimamente o que é a existência...Esse EU auto-abandonou-se nesta vida...

 

publicado por antonioramalho às 15:38
link do post | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

.links

.Visitantes desde Junho de 2010

.De onde visitam: