.posts recentes

. A raiz do medo

. O que encontrou, que havi...

. Sobressair na bondade

. O que o tempo não apaga

. O sentido que partilha a ...

. As palavras nas atitudes

. Porque não posso ir no te...

. A ironia que aconteceu no...

. O que diz à minha volta

. Alguém como eu

. Sob o postal de ser

. Os teus passos no silênci...

. O que pode haver, por sab...

. Juntos pelo coração

. O que é a noite no sorris...

. A nudez do amor

. O que pareceu o caminho

. Novo livro eBook - Eu e a...

. O impossível na sorte

. Sentir a tua falta

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Domingo, 13 de Setembro de 2015

A chave para quem atravessa o deserto........

A vida está sempre a surpreender-nos...positiva ou negativamente...

As pessoas e as expectativas movem-se de lugar para lugar, com frequência...

...E perdemos quase sempre...o que temos diante de nós....

Estamos muitas vezes entre as estrelas, mas não significa que a conheçamos mesmo....

Quem nos deu o relógio?

Passamos o dia à janela....Podemos ter-nos cruzado.........

Atravessamos sempre o deserto a pé....no sofrimento.....

Recusamos ficar sózinhos na ponte....

Os olhares são sempre aguardados no Outono....

Foi alguém que conhecemos...

Não sabemos como chegámos....

Um passo provoca sempre outro....

Por pior que fosse seguimos sempre pensamentos falsos...

As lições são sempre valiosas...mas o sistema de clarividência falhou...

É uma longa viagem...de momentos...

Os grupos esconderam-se....e apertaram o cerco...

Podemos estar na última chamada...

Tantas vidas que se perdem no calor e nas altas temperaturas....na fome e na sede de afectos....

E a  chave que esteve sempre ali....a chave para sair do deserto...chama-se amor e fé, intrínsecamente ligados...

publicado por antonioramalho às 19:51
link do post | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Setembro de 2015

Quando as relações cristalizam......

....a vida não flui.... e a felicidade mora ao lado....

Quando pensamos que o outro (a) está bem....e não está!

Quando pensamos que o outro (a) se sente bem...e não sente!

Quando pensamos que...o melhor é continuar apenas...como se está!

Quando pensamos que ao outro (a) lhe basta apenas ...continuar!....

Quando pensamos ...que basta estar apenas na expectativa...para se ver o que dá!

Partilhar uma vida....não é estar amorfo.....

O ser humano sempre quer..... algo mais....

O ser humano quer sentir o amor em plenitude....

O ser humano quer sentir que ama e é amado....

Mas as relações podem cristalizar!!!

Quando ninguém faz nada ...para mudar!

Quando as pessoas não percebem que é necessário dialogar abertamente....

Ás vezes...basta sentir o toque! Ás vezes...basta sentir que algo não está bem!...Ás vezes basta sentir...que pode acabar ali....

Ás vezes basta tão pouco...para mudar!

Ás vezes ...basta tão pouco ......para as pessoas serem felizes!....

publicado por antonioramalho às 10:22
link do post | favorito
|
Quinta-feira, 3 de Setembro de 2015

O construtor da ponte....,.

Algures no tempo....nasceu alguém....

Alguém que ousou...tentar perceber o código da vida....remar contra a maré...

...alguém que ousou o impossivel...ir para lá do horizonte....ir para lá da própria vida.....

....unir  a terra e o céu, numa ligação indivisível............

...perceber o código da vida....

Uma tarefa julgada impossivel....

Colou poesia no coração...colocou pinceladas de amor em cada movimento....

e colocou um perfume em música de encantar...

Básicamente....quis pensar para lá de si próprio.....

Uma atitude simples e fácil...

As manhãs colaram-se ao anoitecer e a Lua encontrou o Sol....

Não havia espaço no tempo...nem tempo no espaço....

Tudo se diluiu e fragmentou no ideal...

As palavras mágicas que escrevia levaram-no a percorrer o Pôr-do-Sol.... Percorreu montanhas e oceanos...

Descreveu a sensação de amor nas ondas do mar....

Fragmentou cada pedaço da vida num todo invisível...

Deleitou-se no vento que acariciava as árvores...

O verde da vegetação que se une ao azul do céu...

...e mergulhou nas cores da dimensão da vida....

Sonhou e voltou a sonhar....com a verdade e a vida realidade.

Conheceu o amor e quis estender uma flor ao outro ser humano...

Uma flor vermelha em cada gesto, em cada olhar, em cada sorriso...em cada palavra....

O código da vida afinal era tão simples....

...o respeito e o amor....eram as chaves do código.....

O respeito pelo outro ser humano na base de uma vida feliz em amor...

Largar o egoísmo, a ira, a superficialidade, a luxúria, a arrogância, a inveja, o cíume...no poço mais fundo...

........e viver intensamente.....

publicado por antonioramalho às 11:02
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
15
16
17
18
19
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.Visitantes desde Junho de 2010

.De onde visitam: