.posts recentes

. A raiz do medo

. O que encontrou, que havi...

. Sobressair na bondade

. O que o tempo não apaga

. O sentido que partilha a ...

. As palavras nas atitudes

. Porque não posso ir no te...

. A ironia que aconteceu no...

. O que diz à minha volta

. Alguém como eu

. Sob o postal de ser

. Os teus passos no silênci...

. O que pode haver, por sab...

. Juntos pelo coração

. O que é a noite no sorris...

. A nudez do amor

. O que pareceu o caminho

. Novo livro eBook - Eu e a...

. O impossível na sorte

. Sentir a tua falta

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Quinta-feira, 28 de Maio de 2015

A mágoa e o ressentimento... como prisões dentro de nós....

Na dor...no sofrimento.....

Um exercício constante que condiciona....

Um espaço interior criado e preenchido por nós....

Numa verdade... num brilho incandescente por desenvolver e ver...um caminho por conquistar...a fazer....

Numa transformação interior necessária que nos eleva....numa escalada que abre portas....podemos ver o SOl.

Estes condicionamentos são veredas.....que nos impedem de ser livres e de ser felizes....

São ressentimentos e mágoas ...que nos subtraem energia...

A fonte da vida que nasce em nós..num brilho por polir....

Porque queremos encher desmesuradamente um espaço interior.....tão necessário por preencher e reservado para o amor e a verdade?

Não sabemos parar!

Não sabemos reflectir.......

A um passo...a uma mão de algo...de uma desculpa...aferramo-nos num orgulho insensato ...e despimos a felicidade!

 

publicado por antonioramalho às 10:52
link do post | favorito
|
Quarta-feira, 27 de Maio de 2015

A cor das palavras........

Na dor.........na saudade......e na lembrança....

A liberdade na dor...a cor da própria dor....

Em cada dia,em cada noite, que não volta.......

O livro que dedilha páginas....sem cessar...

O vento que oferece o coração.....

Palavras furiosas de paixão....

É noite...é dia... é um rio que não pára!

Apenas as árvores permanecem estanques...

A dor sente-se nas palavras...Não ouvimos, não sentimos....

Lágrimas de mar....que não secam....

O vento sopra nas juras do nunca mais....

Nunca aprendemos a ver a beleza para lá das montanhas....

É um céu....é uma cor...

....Nas palavras, ás vezes, há tanta dor............

publicado por antonioramalho às 19:26
link do post | favorito
|
Domingo, 24 de Maio de 2015

O vento da cor do mar.....

Na festa do horizonte do olhar....acreditaram....

Ãs mãos entrelaçaram-se sem parar, num novelo de amor...

Levantaram-se as gaivotas...esvoaçaram as asas do desejo....

E permaneceram imóveis ao vento, ao SOL e à vida....

Marcaram-se números.....agitaram-se vontades....

.....E os sorrisos que sairam da escuridão....

A vida agitou-se no castelo das emoções, por querer....por sonhar....por não ter ou ter...

Cores, números e canções.....

Quem as ouve?....Quem as sente?

O que existe para lá do amor?....

A felicidade existe.........

..............................alguém sabe que sim.....

No brilho do mar e no sorriso das crianças.......

Na inocência e na bondade......

A felicidade existe .......

......................alguém sabe mesmo que sim..........

No vento, todos procuram e poucos encontram......

São portas que se fecham.....num abrir do dia.....

São dias que se abrem.........em portas que se fecham.........

Alguém ouve o mar no vento que passa?.........

 

publicado por antonioramalho às 19:50
link do post | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Maio de 2015

O rio das boas vontades......

Não são peixes que espreitam....São flores que se divertem no rio...

Olhos que cintilam ...entre salpicos de água fresca.....

No brilho da vida....esvoaçam atitudes.....Ofuscadas pelo deslumbre..........

É um Mundo que corre em águas opostas...

São linhas suaves que percorrem a beleza de um ser deslumbrado pela luz do Sol...

São pedras, Senhor!.....Muitas pedras no caminho......

São barreiras intransponíveis......

E a água que suavemente.......aprendeu a desviar-se..........

Aparentemente é tão simples...........

Então porque será tão difícil ver para lá das aparências?.....

São jardins perfumados ao longe...que se divisam mal no horizonte....

Olhos que sentem...a dimensão dos erros...........na luz dourada das estrelas...

De olhos vendados...a luz é tão intensa...que dói........

Olhos que se fecham ao amanhecer...

Por entre o vento....sentir....um instante...

Olhar as árvores, por entre o coração inquieto....

As árvores permanecem imóveis no silêncio....

Horas e horas de silêncio......para lá da vontade.......

O rio continua a correr no silêncio...

São tão lindas as flores ao luar...

O Eu que vive em si nos braços do Nós....

Os peixes continuam imperturbáveis........

Apenas a luz navega contra a corrente............

publicado por antonioramalho às 23:10
link do post | favorito
|
Segunda-feira, 4 de Maio de 2015

Uma flor amarela ou azul?

No meio do amarelo...nasceu uma flor...

Ninguém teria pensado...que o amarelo não seria a cor amarela...

Quando se olha para o jardim....

.....................................as pessoas só conseguem ver ....o amarelo....

Os homens pensaram que o vento não produzia flores......

Mas enganaram-se!...Até o vento se enganou!......

Ou seja, uma flor pode nascer da realidade ou da ilusão....

Habitualmente....pensamos que é realidade, mas podemos estar apenas perante a ilusão....

Mas continuamos a crer...que o amarelo é a realidade, mesmo sendo apenas uma flor....

E o Sol que não deixa ver a flor azul...........

Na paleta da vida, as cores misturam-se.........

E na realidade? ...Talvez?...Nem sempre?....

Na paleta do amor, as cores quentes absorvem a ilusão e perdem a realidade....

E se as cores não se misturarem....

....................................no fenesim do dia a dia?

Que quadro vamos conseguir pintar?

Uma flor?..................

publicado por antonioramalho às 20:16
link do post | favorito
|
Sexta-feira, 1 de Maio de 2015

Para além do Pôr-do-Sol......

Esperei...

em cada gesto,

em cada olhar...

...o que sinto,

....o quanto...

Esperando por ti....

.......e tu não vês....

 

 

Em cada sorriso,

em cada palavra

..........o quanto!......

............

.......e tu não sentes.

.......ou não qureres ver...

.......ou não queres saber

simplesmente....

 

Em cada luz....

.....o quanto!.............

 

O toque...

........tanto........

........fogo....

da cor do Sol,

......como tu,

.......como eu....

 

Um dia mais.....

......uma noite mais..............

.......e não consegues ver o Pôr-do-Sol............

 

 

publicado por antonioramalho às 17:33
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
15
16
17
18
19
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.Visitantes desde Junho de 2010

.De onde visitam: