.posts recentes

. A raiz do medo

. O que encontrou, que havi...

. Sobressair na bondade

. O que o tempo não apaga

. O sentido que partilha a ...

. As palavras nas atitudes

. Porque não posso ir no te...

. A ironia que aconteceu no...

. O que diz à minha volta

. Alguém como eu

. Sob o postal de ser

. Os teus passos no silênci...

. O que pode haver, por sab...

. Juntos pelo coração

. O que é a noite no sorris...

. A nudez do amor

. O que pareceu o caminho

. Novo livro eBook - Eu e a...

. O impossível na sorte

. Sentir a tua falta

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

Fazer uma diferença positiva na vida das pessoas......

Porque estamos todos ligados de alguma forma...............

Há pessoas que servem de inspiração, pelo que são, pelo que fazem e pelo que dão.....

Há pessoas que são um exemplo....como um pedaço de magia....

Há pessoas com uma energia inesgotável, que trabalham de forma incessante em prol dos outros.....

Há pessoas com criatividade...para ser diferentes....

Há pessoas que têm uma atitude superpositiva.....querem fazer mais...acham que fazem sempre pouco!....

Mudaram a mentalidade...foram mais além!..........

Nunca devemos esquercer de onde viemos..

Devemos estar gratos a todas as pessoas que acreditaram em nós e nos deram oportunidades...

Um novo começo........

Há pessoas que dedicaram e dedicam toda a sua vida a ajudar os outros...

Há pessoas em que ser altruísta é o seu modo de vida...

Há pessoas a quem devemos agradecer...pelo seu olhar, pelo seu sorriso...pelo calor que dão....

Há pessoas que mantém a esperança viva.........

Sempre nos tocam..pela presença e pela emoção...Pintam a vida de cores vivas.....

Essas pessoas trazem esperança a todos.... no trabalho de amor que fazem..........

Dar é melhor que receber....

Um obrigado sincero a todas as pessoas que entram assim na vida dos outros.....

Afinal que fazemos aqui?....

publicado por antonioramalho às 11:34
link do post | favorito
|

As gavetas dos sonhos...........

Era uma vez uma criança que tinha, no seu quarto de vida, um armário com 3 gavetas.

As gavetas dos sonhos: a gaveta dos sonhos possiveis, a gaveta dos sonhos não possiveis e a gaveta dos sonhos impossiveis.....Estavam fechadas a um canto de uma vida. Tinham um segredo: só se abriam quando se concretizassem os sonhos...

A criança tinha nascido pobre...Mas tinha imenso amor, coragem e determinação...Tinha sonhos, imenso sonhos....

Como qualquer criança e jovem, começou a sonhar muito cedo....Sonhos possiveis de se realizarem..se acreditasse, se lutasse e se trabalhasse ...

Estudou, trabalhou incansavelmente e nunca deixou de acreditar que era possivel ir mais além, que era possivel conseguir chegar às suas metas e aos seus objectivos...

Ao longo da juventude, as gavetas dos sonhos possiveis foram-se abrindo, a pouco e pouco, uns sonhos atrás dos outros....

Quando chegou a adulto, a gaveta dos sonhos possiveis ficou totalmente aberta: conseguiu concretizar todos os seus sonhos possiveis!...

Já homem, nunca deixou de acreditar que era possivel fazer algo mais pelo Mundo e pelos outros....Não se encerrou no seu casulo...Olhou para fora!

Estudou, trabalhou sempre o interior e acreditou...nunca deixou de acreditar!

Tantas pessoas a precisar de ajuda, de compreensão, de carinho, de uma palavra amiga....de amor....

O Mundo a precisar de pessoas que lutem pela verdade e pela justiça....

A gaveta dos sonhos não possiveis começou a abrir-se aos poucos: umas vezes com dificuldade, outras vezes mais fácilmente do que era suposto ser possivel...O Mundo precisava de todos...precisava de amor verdadeiro e sobretudo, precisava de entendimento entre os homens baseado no respeito. O respeito pelos outros na sua essência e nas mais pequenas coisas.

"Não fazer aos outros o que não gostamos que nos façam a nós" sempre foi o lema daquele homem, que apenas sabia que era um humilde caminhante a aprender a ser melhor ....

Um dia, o homem, já muito velhinho, quando estava a morrer...olhou uma última vez para a gaveta dos sonhos..E, espantosamente, a gaveta dos sonhos impossiveis, começou a abrir-se...

Nessa altura, num ultimo suspiro, o velhinho sorriu...........para aquele homem tinha valido a pena ter vivido, trabalhado tanto e amado...era feliz!

E a gaveta dos sonhos impossiveis abriu-se....

Foi o sorriso daquele homem, um sorriso de amor contagiante, verdadeiro e puro, que abriu a gaveta dos sonhos impossiveis...

publicado por antonioramalho às 08:49
link do post | favorito
|
Terça-feira, 26 de Agosto de 2014

Amor não é............

Amor não é.........

.......não se valorizar o que se tem, quando se tem tudo.............

.......não perceber que se tem tudo, quando se tem!.............

Amor não é.........

..........valorizar o que não se tem e, sobretudo, valorizar o que os outros têm!.......

Amor não é..........

...... ...não saber olhar...não saber sorrir.....não saber tocar....não saber ter!.........

Porque saber ter é mais importante do que ter!............

Ter apenas........não significa muito! Não significa mais do que possuir ou acumular....

Saber ter é reconhecer o que se tem, saber preservar o que se tem e agradecer o que se tem..........

Amor não é.....

.........não agradecer cada minuto da vida, quando se tem!.....

Ás vezes, temos tudo o que sempre sonhámos e não percebemos que temos.....

Ás vezes, temos tudo o que queríamos ter e não sabemos ter.....

Amor não é.........

............ver amarelo, quando estamos a ver a cor branca....

Amor não é.....

........querer ver outra (o), que não vemos.......

Ás vezes, temos o paraíso diante de nós......

.........e só temos capacidade para ver uma realidade insípida......

Amor não é....

......desperdiçarmos o que temos, sem saber que temos......o amor que temos.............

publicado por antonioramalho às 12:39
link do post | favorito
|
Domingo, 24 de Agosto de 2014

As vezes...um Grande Amor....não chega......

Às vezes, um grande amor, mesmo um grande amor, não chega....

É preciso que as pessoas se entendam e que façam tudo o que está ao seu alcance e mais........ para se entenderem.....

É preciso que percebam o ponto de vista do outro e se esforcem por compreender isso...........................................................................................................

Às vezes, um grande amor não é suficiente....

É preciso algo mais.....

É preciso que as pessoas queiram amar e sentir o amor...

É preciso que as pessoas queiram ser felizes.............................................................................

..............................................

Às vezes, um grande amor é pequeno demais....para vencer o orgulho férreo, o desejo desmesurado, os medos e o desespero das pessoas.....tornando mais fácil comprar o amor "descartável".............................................................................................................................................................................

Às vezes, um grande amor pode não chegar......

....se não houver liberdade, disponibilidade e tempo..................................

.......................................................

Às vezes, um grande amor ...pode não chegar....

.....se as pessoas não se quiserem adaptar um ao outro, não houver compreensão de parte a parte, não quiserem ter flexibilidade para "encaixar" na maneira de ser do outro..................................................................................................................................................................................................

Às vezes...um Grande Amor, mesmo um grande Amor, um amor que todos idealizam, que todos sonham um dia ter ...não é suficiente........

.................................................................

É nessas alturas que percebemos que a vida pode ser tão frágil....e tudo tão temporário.......

publicado por antonioramalho às 17:58
link do post | favorito
|
Sábado, 23 de Agosto de 2014

Era uma vez uma mão...que sabia a cor do amor....

Era uma vez uma mão...vivaça, rebelde e inconformada com a vida....

Desde muito cedo aprendeu a tocar nos objectos nos objectos de modo diferente...uma ligação entre a mão e o olhar...O olhar comandava a mão...e ela seguia-o intrépidamente...

Mas um dia, a mão quis seguir um caminho diferente...e partiu à descoberta de novos mundos...

Percorreu vidas e momentos..Quis mais!...

Percorreu sentimentos e emoções...

Numa dessas caminhadas, aprendeu a desenhar linhas,a sentir emoção no toque e tocou, tocou...Suavemente,delicadamente e sensualmente...aprendeu a percorrer as linhas...com doçura,carinho e flexibilidade suave....

Foi assim que encontrou o caminho do amor..num coração partido...

Aprendeu a tocar emoções...soube pintar sentimentos...e aprendeu a amar...

Aprendeu o significado das cores....

Com um simples toque carregava emoção...Com um simples toque tornava a vida mais sentida...respirava felicidade em cada movimento...

Tocou o amor nas teclas do piano da vida e pintou na tela da vida...a cor do amor...Acariciava, dedilhava calor em cada movimento....

Com um simples toque aprendeu a despertar ilusões..deslizou pelo outro corpo .....e alimentou o rio da sensação....

A mão direita, irrequieta e curiosa, tornou-se mágica...Aprendeu a criar magia em cada toque...porque sabia a cor do amor...

Por fim, encontrou outra mão que também sabia a cor do amor.......envolveram-se na fogueira da sensação.....Aprenderam a criar pontes entre corações...Aprenderam a saber deliciar-se com ....ser a companhia ...

Ficaram de mãos dadas até ao entardecer....

 

 

publicado por antonioramalho às 20:11
link do post | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

A velhinha de cabelos loiros que se sentava no por-do-Sol

Era uma vez uma velhinha de cabelos loiros, que vivia sentada no por-do-Sol...esperando escolher entre o dia e a noite....

Desde criança, habituou-se a encolher os ombros e deixar que os outros e a própria vida escolhessem por ela...

Não fazia escolhas..esperava tão somente que os outros escolhessem o caminho dela...Achava sempre que a vida lhe iria sorrir.....

Segundo ela..."era uma maçada escolher...assumir todos os riscos de uma decisão...era muito mais confortável para ela serem os outros a escolher...

No fundo, não vivia...era vivida!....

Porque a vida é ela própria um risco, mas também a gratidão de ser uma escolha e opção...Ela não sabia isso....

O prazer de escolher o caminho..o bem estar interior por sermos os senhores do nosso próprio caminho!

O livre arbítrio era a alegria que deixava escapar....porque no fundo é ele próprio o sentido da nossa própria realização pessoal e chave do destino!

A velhinha de cabelos loiros, que um dia foi menina, deixou a vida correr...Não viveu!...

E, quando um dia acordou....era velhinha e não feliz....Mas, teimosamente continuava sentada no por-do-Sol....

Estava sentada no por-do-Sol...mas nunca conseguiu sentir a beleza do por-do-Sol.....

Porque viveu sempre na indecisão do antes e do depois...esqueceu-se de desfrutar do durante , do agora, do momento presente...que, basicamente, era a própia beleza do por-do-sol....

Esqueceu-se de viver...quando podia ter escolhido viver...............e foi vivida apenas!...

Agora, demasiado tarde, resmungava e revoltava-se sempre..............., dizendo que a vida não lhe tinha sorrido....quando afinal foi apenas ela que não sorriu à vida....

Esqueceu-se que a única escolha dela foi não ter feito escolhas.....

Na noite que já despertava, o luar dos seus olhos soltou então uma lágrima......na sombra da escuridão...

Não escolheu, nem viveu...

Ainda hoje, mesmo sentada no por-do Sol...continua a interrogar-se e a dizer que o dia e a noite são iguais.....

publicado por antonioramalho às 11:18
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
15
16
17
18
19
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.Visitantes desde Junho de 2010

.De onde visitam: