.posts recentes

. A raiz do medo

. O que encontrou, que havi...

. Sobressair na bondade

. O que o tempo não apaga

. O sentido que partilha a ...

. As palavras nas atitudes

. Porque não posso ir no te...

. A ironia que aconteceu no...

. O que diz à minha volta

. Alguém como eu

. Sob o postal de ser

. Os teus passos no silênci...

. O que pode haver, por sab...

. Juntos pelo coração

. O que é a noite no sorris...

. A nudez do amor

. O que pareceu o caminho

. Novo livro eBook - Eu e a...

. O impossível na sorte

. Sentir a tua falta

.arquivos

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Janeiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

Domingo, 13 de Novembro de 2005

Este momento é irrepetível......

A vida é composta de momento-segundo. Vários momentos . Muitos momentos . São momentos e mais momentos, entrelaçados uns nos outros, numa sequência definida pelo tempo . Como a água de um rio, que corre sem cessar, num contínuo viver.....
E cada momento, embora em sequência bem definida, permanece ele próprio, único ! cada momento da vida é ele próprio, como a sequência de um filme, fotografias e mais fotografias .....take one, take two....
Mas a vida, a sequência de fotografias não se pode repetir, como nas cenas de um filme . Na vida não há hipótese de repetir as cenas, por vezes, muitas vezes. Não se pode escolher a mesma cena para a vida . A vida é ela própria . Cada cena é irrepetível ! Não pode ser retocada, animada ou multiplicada .
A cena do momento a seguir é diferente . Às vezes, totalmente diferente . Às vezes, como se não fizesse parte do mesmo filme de vida .
cada momento é irrepetível ! Como a água dum rio, que corre sem parar, e que nunca é a mesma ! Nunca é a mesma água a passar pelo mesmo rio . tal como nunca é o mesmo momento a repetir-se !
E se o momento é irrepetível, se cada momento da vida não se vai repetir, porque razão não o conseguiremos viver intensamente, ou pelo menos, saber aproveitá-lo ?
Porque razão não viver intensamente cada momento presente, exactamente como se fosse o último dia da vida ?
Não saberemos aproveitar cada momento ? Não saberemos viver ? Não saberemos fazer a composição correcta de todos os momentos da nossa vida ?
E se começassemos a viver cada momento , como se fosse o último ? E vivê-lo intensamente, dado que é único ? E compor momentos únicos e intensos não é sinónimo de um bom filme de vida ?
vivendo cada momento intensamente, e isto quer dizer com imenso amor, não conseguiríamos ter um filme da vida de muito melhor qualidade do que desperdiçar a maioria das cenas do momento presente ?
Quando fizermos a composição do filme da vida, não teremos um défice de filme de vida, não teremos apenas algumas fotografias para recordar ?
E nessa altura não diremos que o filme da nossa vida são apenas algumas cenas ( fotografias do momento presente ) e que não são suficientes para fazermos um filme de vida ? E nessa altura não diremos que desperdiçamos momentos e momentos ? E aí não diremos que desperdiçámos a própria vida ?
publicado por antonioramalho às 19:43
link do post | favorito
|

Nunca estamos completos.......

Viver para nos completarmos...Básicamente, nascemos incompletos, com um potencial de crescimento imenso . E, nesse caminho, encontramos a possibilidade de crescer e evoluir como seres humanos .
Mas, permaneceremos sempre incompletos à espera de alguém, ou de alguma coisa que nos complete .
Vivemos como um puzzle . Há, eternamente, uma peça que nos falta, apara que a obra esteja terminada .
E, a nossa caminhada, é uma procura constante e permanente . Onde estará a "peça" que nos falta ? A tal "peça" que nos preencheria o vazio, um vazio que nos atemoriza e que não nos deixa viver plenamente o momento-segundo presente .
Há sempre uma procura...de alguém, a tal "pessoa certa", alguém que tenha a capacidade de sentir por nós e prever inclusivé, as nossas necessidades, alguém que nos deixe em estado de extase com a sua presença . E continuamos a vida inteira a procurar essa pessoa, mesmo que essa pessoa não exista . Queremos, isso sim , alguém como nós, que seja à nossa imagem e semelhança .
E também porque procuramos sempre algo, algo mais .... Algo mais para ter em casa, algo mais para ter...e isto que é bonito, e aquilo que fica tão bem; algo mais para conseguir , para alcançar na profissão, algo mais como meta e como objectivos . E os hobbies , e as actividades diárias, sempre algo mais para ter ou para alcançar ..
Raramente nos contentamos com o temos! vivemos muito tempo de vida a pensar no que poderíamos ter...como se o que não temos fosse bom e o que temos não lhe soubessemos dar o devido valor !
Não será tempo de valorizarmos as coisas boas, e afinal temos tantas na nossa vida se avaliarmos bem, e não vivermos uma vida a pensar no que poderíamos ser ou ter...e que nunca teremos!
Porque valorizamos tanto o que não temos e desvalorizamos o que temos ?
publicado por antonioramalho às 19:25
link do post | favorito
|
Sexta-feira, 4 de Novembro de 2005

Não dar espaço aos pensamentos negativos......

No mundo dos pensamentos que temos, damos espaço frequentemente aos pensamentos negativos, já que os pensamentos positivos ou construtivos são uma ínfima parte do nosso quotidiano .
O espaço que reservamos aos pensamentos negativos é enorme, sendo proporcional ao tempo livre, ou seja, ao tempo em que não estamos ocupados, ou profissionalmente, ou com hobbys ou mesmo em relações interpessoais .
O problema é o tempo livre, o tempo em que o próprio tempo passa por nós e nos invade .
Nessa altura, o que fazemos habitualmente é pensar; pensar na vida, pensar que náo gostam de nós, pensamos que erramos, pensar que a nossa vida não tem significado, pensar que temos azar e os outros é que têm sorte....pensamentos negativos, que crescem sem cessar, como uma bola de neve a deslizar do alto da montanha .
E os pensamentos negativos resultam essensialmente de falta de autoestima, de medo, e permitirmos que os pensamentos negativos corram como um rio.
E esse rio de pensamentos negativos tem que ser travado, têm que ser bloqueados antes de provocarem um estado grande de ansiedade .
A SOLUÇÃO passará por um aumento da autoestima, o combate ao medo e , muito importante, não dar espaço aos pensamentos negativos . Ocupar o espaço com o próprio tempo. Combater o tempo com o tempo, ou seja preenchê-lo totalmente. Ocupar o tempo com actividade profissional ou de outro tipo . Preencher o tempo! Ou seja não dar espaço aos pensamentos negativos .
E, sempre que surgirem esses pensamentos negativos, não os deixar crescer...e isso pode ser feito com autoafirmações, como por exemplo : pensamento negativo, és mau, mau. Varre , varre, para bem longe de mim ... ! Combater os pensamentos negativos assim que aparecerem com autoafirmações....é um passo mais para vivermos todos os momentos intensamente...
publicado por antonioramalho às 22:04
link do post | favorito
|

O caminho do ser humano.......

Que viemos fazer a este Mundo ? Qual é a nossa missão ? Certamente que não poderá ser tão simples e tão básico, como...comer, dormir, fazer amor, reproduzir e sobreviver....
Certamente que existe algo mais; certamente que existe um significado, algo mais....algo!
Eu penso que, ao nascermos, somos colocados, num caminho, o nosso caminho. Teremos diante de nós, um caminho com várias direcções e muitos cruzamentos .
Ao longo do caminho encontramos factores de crescimento e de evolução como seres humanos: são as Oportunidades e os obstáculos . Todos temos oportunidades e todos temos obstáculos . Mas, ao longo da vida, ou caminhada, temos o factor decisivo em termos de qual o caminho a tomar : são as nossas decisões !
Diáriamente somos confrontados com a necessidade de tomarmos decisões, sobre isto e sobre aquilo , algumas de menor importância e outras de maior importância . estas decisões poderão mudar a rota da caminhada, em direcção muitas vezes oposta à direcção inicial estabelecida .
Mas nesta caminhada, encontramos oportunidades, as quais são aproveitadas por umas pessoas e muitas vezes são desperdiçadas por outros seres humanos .Por medo ? Por comodismo ? Por necessidade ? por opção ?
Nesta nossa caminhada da vida, encontramos igualmente obstáculos, de nível diferente e com um grau de dificuldade variável; alguns mesmo intransponíveis, os quais são a causa de depressões graves e até mesmo o suicídio .
De um modo simplista, temos o factor base, chamado PENSAMENTO e o factor chave chamado DECISÃO . São os nossos pensamentos que se irão reflectir nas decisões que tomamos ; e são essas decisões que nos levam a escolher o caminho a seguir .
Daqui se conclui que somos nós os responsáveis pelo nosso destino ! O nosso destino está nas decisões que tomamos ao longo da caminhada que efectuamos nesta vida .
publicado por antonioramalho às 21:37
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
15
16
17
18
19
20
22
24
25
26
27
28
29
30
31

.links

.Visitantes desde Junho de 2010

.De onde visitam: